sábado, 12 de abril de 2014

"Pura filosofia"

Estou numa fase da minha vida, em que vos confesso, não estou para aturar muitas cenas. Cada vez mais dou por mim a analisar o que me rodeia e a reflectir sobre o que quero para o meu futuro. Confesso-me, actualmente, mais egoísta,  algo que sei que nunca fui. Nunca pensava em mim, apenas nos outros, nos seus sentimentos... era a primeira a correr em direcção aos problemas dos outros,  sempre dos outros. E os meus? Bem, os meus ficavam para depois. Chega! Pela primeira vez em toda a minha vida dou por mim a pensar primeiro no meu bem.  Não quer dizer que o resto não conte, mas já não é o mais importante,  efectivamente. Cansei-me de futilidades,  coisa que toda a vida detestei. Não suporto mais pessoas que se gabam de borracheiras, não suporto mais pessoas que vivem da imagem, não suporto mais pessoas que vivem para cuscar e criticar tudo à sua volta! A vida é mais do que álcool,  mais do que uma roupa gira e uma cara laroca, mais do que perder tempo a mandar bitates sobre os outras pessoas.  Porque um dia acabamos em coma, cheia de rugas e com uma vida cheia de tristezas como as das pesoas que passamos a vida a falar mal. A vida é para ser vivida baseada no que verdadeiramente importa. Eu quero ser uma boa engenheira, quero puder trabalhar em algo que goste, quero ter a minha familia, quero beber um copito de vodka preta com sumo de limão às vezes, não me importo de vestir um 40 de calças (não deixo de ser uma jeitosa do pior, ahahah) e estou-me a borrifar se a minha vizinha têm ou nao um carro novo ou se o filho do carteiro anda a fazer tráfego de cuecas com corações para um grupo de chineses que vive na Nova Zelândia. Eu só quero ser uma engenheira feliz.