terça-feira, 6 de setembro de 2011

Escrava do espelho

À uns tempos, escrevi este texto. Acho que traduz o meu dia-a-dia.

A minha relação com este ser inanimado é péssima sob todos os pontos de vista. Antigamente, ainda conseguia encará-lo do pescoço para cima, mas agora nem isso. O que vejo quando olho para ele? Alguém com um cabelo horrível, nem encaracolado nem liso, algo parecido com uma “gadelha”. Alguém com um nariz demasiado grande. Alguém cheia de borbulhas, que teimam em aparecer dia após dia. Alguém com uns lábios demasiado grossos. Alguém com um sorriso que já foi bem mais bonito, assim como os olhos. Alguém com demasiado peso para a sua altura. Alguém com uma barriga horrenda. Alguém com umas pernas demasiado gordas. Alguém demasiado branca. Alguém a quem nenhuma peça de roupa assenta na perfeição. Tenho vergonha de ser assim. Tenho vergonha de entrar em lojas de roupa para a minha idade e ter de procurar os números mais altos. Tenho, de vez em quando, vergonha de andar com as minhas amigas. Tenho, tantas vezes, vergonha de sair de casa e ter de encarar o Mundo tal e qual como sou. Não consigo tirar fotos do pescoço para baixo. Não consigo olhar ao espelho e dizer “Estás bonita!”, porque eu não me consigo sentir bonita. Podem me pôr quilos de maquilhagem, uns saltos agulha e um vestido espectacular, mas quando eu olhar para o espelho apenas vou reparar nos defeitos. Geralmente as raparigas da minha idade se acharem um rapaz bonito, metem logo conversa e etc, eu não! Eu penso logo no que ele vai olhar primeiro, na minha gordura. Se antigamente gordura era formosura, agora é tortura. Eu não sou das piores pessoas a sofrer deste problema, mas podem imaginar o que é entrar numa loja e dizerem-vos “Desculpe mas não temos roupa para si”? Só me aconteceu uma vez e a melhor palavra para descrever a situação é: Humilhação. Jurei que nunca mais lá entrava e não mais lá entrei, porque há coisas que não matam, mas doem. Na verdade também não faço nada para melhorar, não faço nada para lutar contra a genética, apenas espero pelo milagre que nunca vai chegar. Sou mais uma a queixar-me, mas a ficar sempre de braços cruzados. No fundo, acho que não passo de uma ridícula.  

Mosquita

17 comentários:

Anónimo disse...

Nao digas asneiras. Basta olhares para o exemplo da adele, ninguem a parou por ser como é alias ainda gosto mais dela por ser assim pois tornou-se numa cantora super humilde e muitas cantoras que se acham todas boas até metem nojo com a mania. Ouve tu podes ser o queres e tornares.te da pessoa mais admirada do mundo sendo como és. Olha eu já te admiro pela coragem que tiveste ao postar isto. EU ADMIRO -TE MUITO ACREDITA. E se nao te sentes bem há sempre uma alternativa que vais encontrar,estamos todos a torcer para que mudes rápidamente essa ideia porque nem tudo é imagem e tu és mais do que uma imagem és uma mulher com "M" Grande. ÉS LINDA MOSQUITA REPITO LINDA!!

Batom para que te quero disse...

A minha auto-estima disparou com este comentário!

Anónimo disse...

Era esse o objectivo ;p

Batom para que te quero disse...

Mas, acho...não melhor tenho a certeza que por muito que lei este comentário nada se vai alterar! Porque o admirar e o "M" puxam para cima, mas o meu cérebro puxa para baixo!

Anónimo disse...

Não penses assim please

Batom para que te quero disse...

Prometo que vou tentar ter mais power para melhorar! Porque é que tenho a sensação que me conheces demasiado bem?

Anónimo disse...

Nao tao bem. é mais via batomparaquetequero.

Batom para que te quero disse...

Fico contente por alguém me adimirar, me considerar linda e uma mulher com "M" grande apenas por me ler!

Anónimo disse...

Admiro-te por te ler e acho-te linda porque já te vi imensas vezes ...;P

Batom para que te quero disse...

Já me viste imensas vezes? Obrigada pelo apoio!

Anónimo disse...

Sim! De nada.

Batom para que te quero disse...

Fiquei muito curiosa sobre a tua pessoa! Não me estarás a confundir com ninguém?

Anónimo disse...

Nap

Batom para que te quero disse...

Depois se me encontrares para aí no meio da rua, diz-me algo do género "Fui eu que te animei naquele dia, em que estavas muito mal...no teu blog!".

Anónimo disse...

sempre consegui te animar...

Batom para que te quero disse...

É verdade! Um bocadinho...depois fiquei muito confusa com a conversa e cheguei a pensar que me tinhas confundido com a Purpurina!

Anónimo disse...

Ambas sao umas fixes