sexta-feira, 22 de julho de 2011

Provavelmente S. Pedro vai-me mandar para o Inferno

Para desviar a minha bela mente da Biologia (da fagocitose, da fotossíntese, dos estomas e afins), tenho me divertido a cuscar facebook's de raparigas de 11 anos e os seus dramas pseudoamorosos. Eu sei, sou uma víbora, mas é tão cómico que não resisto. A culpa não é minha...é dos meus dedos que fogem para os nomes quando aparecem notícias na página inicial.
A linguagem, as imagens, os erros ortográficos, a noção de "amor" fascinam-me. Os "Amo'the" dão cabo de mim, os "estou a chorar à 3 dias por ele, para verem como eu estou" (com várias fotos a chorar) fazem-me perspectivar as coisas: Será que eu já fui assim, rídicula, parva e nécia? A resposta é: Para mim vergonha provavelmente já. Mas para bem, daqueles moças, quando crescemos tudo passa a ser uma valente parolice e às vezes apetece-nos esconder a cabeça num saco preto quando nos vêm as recordações à cabeça.
O pior, é que se no início da adolescência somos trengas, mas no fim ainda continuamos um bocado. Dá-mos por nós a gostar das pessoas mais parvas de sempre e sem saber porquê (mas já, com outra noção). Eu vejo cada uma (e um, também) que até assustam e só sei dizer: "Se um dia, eu for assim, podem-me bater à vontade"!


Mosquita

4 comentários:

23DavidLuiz disse...

Eu às vezes também penso: " Fogo, como é que eras assim?", mas são fases e toda a gente passa por elas. Mas sinceramente, acho que as gerações anteriores às nossas são muito mais exageradas em tudo.
Vejo pela escola, que quando eu andava no 9º, 8º, não era assim.
Não era tão dramática, não precisava de fumar e de beber para dizer aos outros que era "fixe", não precisava de ter um namorado todos os dias, não vivia de facebook's (naquela altura era hi5), não tinha a mania que era grande, e todos nós sempre que víamos alguém do 12º, era praticamente como se fosse um professor. Agora não é assim.

Batom para que te quero disse...

Concordo completamente!
Agora andam todas maquiadas, com saltos altos...parece que vão a casamentos, mas com livros atrás :)
Quando olho para a minha geração maior parte também já é assim. Chego-me a sentir uma trenga. Na verdade, eu vou para o 12ºano e pareço bem mais novas que algumas. É alcool para trás e para a frente, com 11 e 12 anos. É saídas à noite com 14 anos e com gente de ar assustador (a minha primeira foi já com 17). "O mundo está perdido", já dizia Sócrates na altura dele (o filósafo)!

23DavidLuiz disse...

É isso! Eu quando saio à sexta ou ao sábado com os meus amigos, à meia-noite, mais tardar e com muita sorte meia-noite e meia tenho de estar em casa e vou fazer 18 anos.
Só soube o que era noite mesmo, ir a uma discoteca, ficar até às tantas e ver o que era realmente uma festa, quando fui à viagem de finalistas.

Batom para que te quero disse...

Ainda não vi nada disso!! Também não ajuda o facto de vivermos todos em aldeias (apesar de não serem no fim do Mundo, precisámos de transportes e cá não há assim grandes festas) e temos todos menos de 18 anos (ou seja, os nossos pais não estam para nos ir buscar e levar...é chato) :(
Eu também sou um "bicho de casa"! Acho que os meus vizinhos nem devem conhecer bem a minha cara...às vezes que me vêm!